sábado, setembro 17, 2011

A inserção das crianças nas redes sociais


 
A inserção da criança nas redes sociais


  Em grande parte das crianças quais possuem perfis em redes sociais, foram inseridas nelas antes dos dois anos de idade. Um estudo feito pela AVG, empresa de programas de proteção de computadores e de privacidade na Net, concluiu que 82% das crianças viajavam já pelo ciberespaço antes dos dois anos de idade. Nos 10 países estudados pela AVG, os EUA são os que mais mostram – ou expõem – os filhotes na net: 92% dos bebês americanos tinham fotos em redes sociais como o Facebook e o Orkut ou em sites de compartilhamento de fotos como Flickr e o Picasa antes dos dois anos.

   Conclui-se então que mesmo os pais, sem o menor intuito de fazer com que seus filhos ganhem ‘vida virtual’, ele assim os faz a partir do momento que inseri fotos da criança além de colocar a criança e a família em risco, já que os perfis em redes sociais dão dicas da rotina de cada pessoa ele também faz a inserção precocemente, tornando assim, como um incentivo para que crianças venham a ter perfis nas redes sociais.
  Muitas crianças criam perfis nas redes sociais pois elas carecem de atenção de seus pais, por elas verem a dinâmica do trabalho dos pais que atualmente muitas empresas aderem as redes sociais como fonte de pesquisa, divulgação e como ferramenta de conhecimento dos funcionários que prestam serviços para determinada empresa. A criança se espelha no comportamento dos adultos, principalmente dos pais, e ao ver seus pais sempre em participação dos perfis das redes sociais elas tendem a imitar, basta analisar que a idade, qual a criança do sexo feminino mais imita as ações da mãe, como o vestir, o falar e a maneira de se expressar é durante a segunda infância, período que vai dos três anos de idade aos seis anos, nessa fase ela admira os pais, já que ainda continua com independência com os pais, mesmo já começando a possuir um ciclo de amigos. Porém ela cria independência na terceira infância qual abrange dos 6 anos aos 11 anos, qual ela começa a desenvolver raciocínio lógico, querer agir de acordo com sua própria vontade e impulso, já possui uma coordenação motora melhor do que, quando estava na terceira infância.
   Pelo fato de ser dependente dos pais, e imitar as atitudes deles, ela tenderá a também imitar esse comportamento inclusive os das redes sociais. Algumas crianças hoje a partir dos 5 anos de idade já possuem um bom desenvolvimento quando se falamos em tecnologia, a exemplo de um bom manuseio de aparelhos celulares, e de eletrônicos quais possuem acessibilidade com a internet. As redes sociais, com o intuito de se expandir  e conquistar todos os públicos, ela facilita o manuseio de suas configurações como criar perfis e a personalização do próprio perfil, mesmo algumas redes sociais exigirem que seus integrantes sejam  maiores de idade, não há nenhuma comprovação da maioridade, já que a mesma só pede dia e ano de nascimento da pessoa que quer se cadastrar, podendo a informação ser omitida ou alterada.
Muitas crianças procuram as redes sociais, por carência pois algumas não possuem tanta disponibilidade para formalizar um diálogo com seus pais, devido a incompatibilidade de horários ou disponibilidade de tempo de ambos. Atualmente as próprias brincadeiras e divertimentos das crianças sofreram alterações, antigamente as crianças possuíam um grande ciclo de amigos, se viam diariamente e podiam brincar nas ruas porém atualmente, cada dia que passa fica mais difícil fazer amizades com os próprios vizinhos, já que cada um tende a se isolar no conforto de seus lares, com o advento da tecnologia e portabilidade da mesma, possuem acesso a internet em quase todos os ambientes tanto do lar quanto de ambientes externo. O próprio conceito de amizade foi alterado pois é mais fácil fazer amizades por meio virtual do que presencial já que pelo fator distância as pessoas criam a falsa idéia que estão mais seguras e se todas essas alterações afetam nos adultos também afetará nas crianças, basta lembrar que as mesmas tende a fazer uma copilação dos adultos, pois elas esboçam real desejo de admiração pela fase adulta. A criança atualmente não se aventura a brincar em um parquinho da praça, mas brincam nos enclaves fortificados a exemplo de shoppings, parques particulares e condomínios fechados. A própria sociedade, o meio em qual essas crianças convivem contribuem para que a mesma busque o isolamento, pois o meio influência ao isolamento social já que todos nós temos a ideologia que é perigoso brincar com outras crianças em uma praça pública. Alguns pais preferem que seus filhos brinquem na internet, do que se exponham a brincar em ambientes abertos estando sujeitos a seqüestros e outras ameaças do ambiente urbano.
  Com a inserção da criança na internet ela tenderá a se inserir também nas redes sociais, pois a própria internet a exemplo do site de busca Google, Bing e outros fazem uma excessiva divulgação para que as pessoas criem perfis nas redes sociais. A criança por possuir curiosidade natural de sua idade, ela tenderá a visitar essas redes, se encantará pois o diálogo é mais fluente, a afetividade é mais notória na internet do que em nosso ‘mundo real’ ,e é muito mais fácil fazer amizades no ambiente virtual do que em nossa sociedade presencial.
  Outras crianças, se inserem nas redes sociais devido a forte divulgação nas mídia tanto televisa, na internet, quanto os próprios colegas de escola. A criança tende a copiar as atitudes dos outros sejam eles adultos, ou colegas de escola, e quanto mais ela admira mais ela copiará essas atitudes, além do mais, ela não quer ser diferente de seus colegas, já que tem o conceito de querer ser igual ou “normal”. Basta perceber que a menina pergunta a mãe por que o órgão genital do menino é diferente do da menina? Assim também como outras perguntas que são descritivas próprias da representatividade do gênero, como “por quê o cabelo da menina é grande, e do menino é curto?”, ou “por quê as meninas brincam de bonecas e os meninos de carrinho?”, para a criança todos devem serem iguais e como ela não quer ser diferente dos demais colegas ela também tenderá a aderir perfis nas redes sociais caso seus colegas também o possuam.

Jéssica Cavalcante






2 comentários:

  1. Acho que os país devem ter um cuidado delicado com seus filhos diante essas redes sociais; a internet é uma tecnologia maravilhosa, porém perigosa demais!!!! Principalmente para crianças! Quanto mais tecnologia mais bandidagens!

    Linda, tenha um fim semana maravilhoso com JESUS ao seu lado!

    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Géssica, querida, boa noite!

    Coloquei uma postagem no meu blog, com o titulo "13 meses no ar", em marcadores:BLOGS (mês agosto/11)! Expus uma pequena homenagem à você e também divulgando o seu blog lindo!!!! Vai lá e olha, espero que goste, linda! Te acho especial!

    Beijão.

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar!
Tenha um dia abençoado e que as bênçãos de Deus sejam sempre frequentes em sua vida! Amém.

 
Facebook Twitter Orkut My Space Digg yahoo Mais...